O que é a ação

Em março de 2020, quando o mundo se viu diante do novo coronavírus (COVID-19), o Viva Rio se uniu a parceiros para minimizar os efeitos da pandemia sobre a população, especialmente moradores de favelas e territórios mais vulneráveis que, em virtude do problema, passaram a enfrentar situações de fome e pobreza extrema.

A ação foi centrada na distribuição de alimentos para famílias em insegurança alimentar, com destaque para jovens mães e gestantes.

A primeira etapa do SOS Favela reuniu lideranças comunitárias, empresariais, artísticas, científicas, religiosas e profissionais de saúde, que com o apoio solidário de muitos cidadãos beneficiou mais de 30 mil famílias, em 450 comunidades e 35 municípios do Brasil.

Quase dois anos depois, seguindo os moldes de 2020, o Viva Rio apoiou as vítimas das chuvas na cidade de Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro, por meio da campanha Solidariedade Petrópolis, que arrecadou mais de meio milhão de reais, revertidos em cartões de alimentação para famílias desabrigadas, insumos para quentinhas e compra de itens como máquinas de costura, que possibilitaram a retomada do trabalho de costureiras da região.

Agora, em 2024, o SOS Favela retoma as suas atividades para atuar de forma permanente em favor das famílias que vivem nas favelas e localidades que, infelizmente, são frequentemente impactadas de forma negativa por fenômenos naturais e sociais, como as chuvas e a fome.

O impacto das chuvas na população

O verão é marcado por fortes ondas de calor e, também, muita chuva. O histórico de chuvas fortes e enchentes na cidade do Rio de Janeiro é antigo, mas nos últimos anos as mudanças climáticas têm potencializado o volume das chuvas, e não apenas na cidade. No dia 15 de janeiro, todos os estados do país, com exceção de Sergipe, foram alertados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) sobre o perigo de chuvas intensas. 

As consequências dos temporais, muitas vezes, são trágicas. Infelizmente, os temporais não acontecem apenas no verão e atingem diversos estados do Brasil. Desde o fim de abril, o Rio Grande do Sul tem sofrido com fortes chuvas que atingiram 414 municípios e já afetaram mais de 1,4 milhão de pessoas. Há mais de 158 mil pessoas desalojadas e já foram confirmadas 95 mortes, além de 372 feridos.

O que você pode fazer

Você pode ser um apoiador da ação contribuindo de duas formas: doação em dinheiro e doação de itens. Assim como na primeira etapa do SOS Favela e na campanha Solidariedade Petrópolis, as doações em dinheiro serão revertidas em cartões de alimentação para famílias em situação de vulnerabilidade social. Sua doação também poderá ser usada para a compra de itens solicitados por instituições parceiras com as quais o Viva Rio se une para capilarizar e agilizar o apoio, entre elas a Ação da Cidadania, que está ajudando as vítimas no estado gaúcho.

Confira os dados para doações em dinheiro e a relação dos itens a serem doados aqui. Para doações ao Rio Grande do Sul, contribua no pix sos@acaodacidadania.org.br ou com os seguintes itens: roupas em bom estado, roupas de cama e banho, alimentos não perecíveis, itens de higiene pessoal e material de limpeza. Os donativos podem ser entregues na sede do Viva Rio, na Rua Alberto de Campos, 12, Ipanema.

sos_favela_home_doe_agora_NOVO

Outras Ações

Clique e saiba mais

sos_favela_home_foto

Contato

sosfavela@vivario.org.br